plenaria entidades 26 04 18 01

O papel e a atuação das entidades médicas em Goiás foram debatidos ontem na Plenária Temática promovida pelo Cremego e que reuniu representantes do Conselho, do Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego), da Academia Goiana de Medicina, da Associação Médica de Goiás (AMG) e da Unimed Goiânia. A Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg) também participou do evento aberto a toda a classe médica. O objetivo principal da plenária foi detalhar as funções específicas e legais de cada entidade e ampliar a união entre elas, que já contam com uma cooperação, visando o fortalecimento da representatividade da classe e da defesa da ética, do desenvolvimento e do exercício da medicina.

O presidente do Cremego, Leonardo Mariano Reis, explicou que as mudanças no cenário político brasileiro nos últimos anos colaboraram para que algumas entidades representativas se fortalecessem e outras sofressem um enfraquecimento. Ele defendeu que cada entidade aprimore seu campo de atuação cumprindo aquilo que a legislação determina. “Há uma unificação de pensamento das entidades médicas e um interesse mútuo para que todas se fortaleçam”, pontuou.

Ele destacou que o Cremego é uma autarquia federal e, portanto, cumpre as determinações da legislação que orienta a administração pública. O presidente lembrou que uma das atribuições principais do Conselho é a de supervisionar e disciplinar o exercício da medicina, porém muitas vezes o papel da entidade é desconhecido pelos médicos. “O nosso objetivo maior é defender a medicina e por isso não podemos assumir demandas que não são de nossa atribuição, como o papel sindical”, completou.

Rafael Cardoso Martinez, diretor de Comunicação do Simego, elencou as várias atribuições do sindicato e esclareceu que um dos papéis principais da entidade é defender os interesses individuais e coletivos da categoria, incluindo situações em que é preciso acionar a justiça. “É muito importante que os médicos entendam que cada entidade tem o seu papel e a sua importância”, observou.

O representante do Simego disse que nos últimos quatro anos houve uma redução drástica na receita da entidade devido à queda brusca no número de profissionais que pagam a contribuição sindical. Rafael Martinez defendeu que as entidades se unam para adotar ações de conscientização dos profissionais em relação à importância de colaborar para a manutenção do sindicato que representa os profissionais e luta pela melhoria das condições de trabalho e de remuneração da categoria.

O presidente da Associação Médica de Goiás (AMG), José Umberto Vaz de Siqueira, afirmou que a entidade tem atribuições importantes, como a de emitir as titulações de especialidades em Goiás, todas elas validadas pela Associação Médica Brasileira (AMB). Além disso, ele ressaltou o papel associativo da AMG que atua de forma ampla na defesa da categoria profissional e elogiou a iniciativa de se debater a atuação das entidades representativas médicas. “O debate enriquece e fortalece o relacionamento entre as entidades”, acrescentou. 

Breno de Faria, presidente da Unimed Goiânia, apresentou as funções da cooperativa médica e citou que o papel principal da entidade é proporcionar uma assistência integral à saúde com qualidade aos clientes e um trabalho com melhores condições e remuneração aos médicos. “Apesar de muita gente confundir, não somos uma entidade pública, somos uma cooperativa e seguimos os princípios do cooperativismo”, assinalou. O presidente destacou ainda que, apesar de não representar a classe médica, a Unimed Goiânia defende o fortalecimento de todas as entidades representativas. “A ideia é a união em prol da classe médica”, disse.

Nilzio Antônio da Silva, presidente da Academia Goiana de Medicina, falou sobre a trajetória da entidade desde que foi fundada em 1988 e que um de seus papéis de destaque é contribuir para o progresso da medicina em Goiás. “Completamos 30 anos e neste período buscamos promover atividades científicas e culturais, além de conservar a memória da medicina em nosso Estado”, exclamou. O presidente acredita que toda a classe médica ganha com o fortalecimento das entidades representativas e que todas precisam atuar de forma conjunta em benefício da categoria. “A Academia é sempre muito bem acolhida por todas as entidades”, finalizou.

Presidente da Ahpaceg, Haikal Helou, citou o grande número de médicos no corpo clínico dos hospitais associados e enfatizou ser fundamental que cada entidade representativa cumpra o seu papel em relação à classe médica. Ele defendeu o fortalecimento das entidades que representam a categoria, ressaltando que, com entidades fortes, todos ganham. O presidente do Cremego anunciou que as entidades, a partir de agora, terão sempre uma agenda conjunta.

 

(Assessoria de Comunicação Cremego 27/04/18)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.