O secretário Municipal de Saúde de Goiânia, Elias Rassi Neto, participou na tarde desta quarta-feira (23) de uma reunião com a diretoria do Cremego para discutir as condições de funcionamento das unidades de rede pública municipal de saúde na capital. O presidente do Cremego, Salomão Rodrigues Filho, entregou ao secretário um documento com um resumo dos relatórios das vistorias feitas pelo Conselho na rede municipal.

Os relatórios apontam deficiências que têm comprometido o exercício ético da medicina e afetado a qualidade e a eficiência da assistência prestada aos pacientes. Elias Rassi fez um balanço das ações da Secretaria, citou a ampliação do quadro de pessoal com a contratação de novos médicos e afirmou que estão sendo adotadas medidas que permitem ao órgão tomar decisões em tempo mais curto para melhorar o funcionamento das unidades.

Um exemplo, citado pelo secretário, foi a melhoria da segurança no Ciams do Jardim América, que chegou a ser interditado pelo Cremego, no dia 24 de abril. As ações acordadas com o Conselho para sanar a falta de segurança que levou à interdição da unidade foram cumpridas pela Secretaria. Durante a reunião, o presidente do Cremego entregou ao secretário um documento atestando o cumprimento do acordo.

No próximo dia 21 de junho, técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e diretores e médicos fiscais do Cremego voltam a se reunir para debater os problemas detectados nas vistorias e definir um cronograma para a solução das deficiências nas unidades da rede pública municipal de saúde.

Antes dessa data, haverá um outro encontro para analisar a situação do Cais da Chácara do Governador, cuja interdição ética foi aprovada pelo Cremego no dia 3 de maio. Foi dado um prazo de 30 dias à SMS para corrigir as falhas na unidade e evitar a interdição.

Segundo a diretora de Atenção à Saúde do órgão, Patrícia Antunes de Moraes, as deficiências apontadas pelo Cremego já estão sendo corrigidas. Salomão Rodrigues ressaltou que a meta do Conselho não é interditar unidades de saúde, mas contribuir para que os problemas sejam solucionados e que os médicos tenham condições dignas de trabalho e de remuneração.

Também participaram da reunião desta quarta-feira, além do secretário Elias Rassi Neto e do presidente do Cremego, técnicos da SMS e os diretores do Conselho, Adriano Alfredo Brocos Auad, Carlos Alberto Ximenes, Evandélio Alpino Morato, Lueiz Amorim Canêdo, Maria Luiza Barbacena e Rômulo Sales de Andrade.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.