JORNAL OESTE GOIANO

Fiscalização fecha hospital municipal de Iporá por mal atendimento

Ontem, quarta-feira, 11, uma fiscalização do Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) veio à cidade de Iporá com o ofício 15.435, o qual solicitava em caráter de urgência, a proibição do ato médico no Hospital Municipal Adão Pereira. Nenhum médico pode mais trabalhar nesta unidade de saúde. Isso implica praticamente no fechamento do Hospital Municipal.

As razões para o fechamento são condições de atendimento que não condizem com o que é previsto em lei e estão descritas em um relatório de interdição. Nesta mesma data, o secretário de saúde, Denis Baliza, recebeu o ofício com a ordem de fechamento, o que foi feito, tendo ele ainda ciência do extrato da ata da 14ª. sessão ordinária do Cremego, nos quais constam os fundamentos fáticos e jurídicos que embasaram a referida decisão.

Há atos a serem feitos, dentro do hospital, que não são simples para reabrir a unidade tão rapidamente. Exemplos de mudanças dizem respeito, por exemplo, a adequação da cozinha, construção de um DML e outras questões.

A reportagem ouviu o secretário de saúde, Deniz Baliza, que afirma que vinham sendo feitos investimentos no hospital. E enfatiza que antes de fazer as adequações necessárias precisa de uma aprovação da planta baixa, a ser feita pela Suvisa – Superintendência de Vigilância em Saúde. Ocorre que este órgão não dá um despacho tão rapidamente, depende de agendamento. O secretário Denis Baliza tem uma programação para ser atendido no órgão em 30 de janeiro de 2020.

O secretário lamenta o fechamento, com a afirmação de que no local é feito um atendimento para diversos municípios, com muitas cirurgias e procedimentos diversos. Hoje, quinta-feira, acompanhado de um médico e um advogado, o secretário de saúde Denis Baliza irá ao órgão que expediu a ordem de fechamento do hospital, onde se reunirá, na busca de soluções. Sua reunião no Cremego está agendada para às 18 horas. Em seguida, se reunirá com conselheiros de saúde do Estado. Ele acredita que hoje à noite terá notícias melhores sobre o Hospital Municipal de Iporá.

Enquanto isso, orienta aos que se dirigem a esta unidade de saúde, para que procurem a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada ao lado Hospital. Acrescenta que, se a UPA não resolver, pacientes serão encaminhados para Goiânia.

https://www.oestegoiano.com.br/noticias/saude/fiscalizacao-fecha-hospital-municipal-de-ipora-por-mal-atendimento

………………

GOIÁS 24 HORAS

Prefeito de Iporá denuncia que Caiado persegue município e mandou fechar o hospital municipal

O prefeito de Iporá, Naçoitan Leite (PSDB), denuncia que o governador Caiado está perseguindo politicamente o município. A mais nova polêmica está no fechamento do Hospital Municipal de Iporá. Naçoitan afirma que, por influência de Caiado, o Cremego determinou o fechamento da unidade devido a um problema que sequer é explicado de forma convincente.

O prefeito afirma que 170 mil pessoas da região são prejudicadas diretamente com o fechamento da unidade. Naçoitan informa ainda que o Estado não está repassando o dinheiro relativo à saúde; já são 13 meses de atraso. “É perseguição”, denuncia o prefeito.

https://goias24horas.com.br/140954-prefeito-de-ipora

…………

JORNAL OPÇÃO

Hospital Municipal de Iporá é interditado pelo Cremego por ingerência do município

  1. Elisama Ximenes

Escala médica e atendimento a pacientes internados continua até a alta e a unidade não pode receber novas internações

Nesta quarta-feira, 11, o Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) determinou a interdição do Hospital Municipal de Iporá por ingerência do município. A decisão foi tomada ainda no dia 7 de novembro e teve ata aprovada pelo conselho, com unanimidade, no dia 4 de dezembro.

Segundo o Cremego, relatório encontrou deficiências no serviço prestado. O documento assinado pelo presidente do Cremego, Leonardo Mariano Reis, atesta para que a escala médica e o atendimento dos pacientes internados continuem até as respectivas altas. Entretanto, a unidade não pode receber a internação de novos casos até segunda ordem.

De competência municipal, ao contrário do que se vem tentando propagar, a unidade não é de responsabilidade do Estado. O Jornal Opção enviou um pedido de resposta à prefeitura de Iporá e a matéria poderá ser atualizada.

https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/hospital-municipal-de-ipora-e-interditado-pelo-cremego-por-ingerencia-do-municipio-225646/

………….

DIÁRIO DA MANHÃ

Cremego fecha hospital de Iporá por más condições de atendimento

https://www.dm.com.br/cotidiano/2019/12/cremego-fecha-hospital-de-ipora-por-mas-condicoes-de-atendimento/

Uma fake news que circula em Iporá e região afirna que o fechamento do Hospital Municipal Adão Pereira da Silva, de Iporá, decretado nesta quarta-feira, 11, ocorreu após pedido do governador Ronaldo Caiado (DEM).

A informação é inverídica, conforme desmentido do Conselho Regional de Medicina (Cremego) no ofício n. 15435.

O secretário de saúde Denis Fernandes, subordinado ao gestor do município, Naçoitan Araújo Leite, foi notificados pelo Cremego por conta da interdição ética do hospital.

As deficiências apontadas, diz relatório do Cremego, se originaram na administração municipal. Novas internações estão suspensas até que a Prefeitura de Iporá cumpra as determinações da autarquia federal.

A interdição ética ocorre após uma equipe técnica de especialistas constatar que o hospital não tem condições mínimas de funcionamento colocando em risco a população.

Procurada, a secretaria de saúde não retornou com sua versão para a suspensão da unidade de saúde.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.