O presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego), Leonardo Mariano Reis, e a presidente do Sindicato dos Laboratórios de Análises e Banco de Sangue do Estado de Goiás (Sindilabs-GO), Christiane Maria do Valle Santos, reuniram-se nesta tarde para avaliar a liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da realização de testes rápidos da Covid-19 em farmácias e drogarias.

A medida foi recebida com muita preocupação pelo Cremego e o Sindilabs, que veem na liberação mais riscos do que benefícios para a população e para os trabalhadores envolvidos na realização dos testes. De acordo com Christiane do Valle, os testes não têm eficácia garantida, não há normas para a realização ou controle de qualidade dos exames nestes estabelecimentos e os trabalhadores ficam expostos à contaminação.

Leonardo Reis reitera as preocupações do Sindilabs e enfatiza que farmácias e drogarias não contam com espaços adequados para receber pessoas doentes com segurança e a circulação delas nestes locais acabaria aumentando os riscos de proliferação da doença. Ele também critica o fato de aproveitarem esse momento de pandemia para criar um novo serviço nas farmácias e drogarias, que pode abrir a porta para a liberação de outros atendimentos pleiteados por esse setor, colocando em risco a saúde da população. As entidades esperam que a medida seja revogada.

(Matéria aprovada pelo Presidente do Cremego/30/04/20)

 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.