Em reunião realizada no dia 19 de dezembro, a diretoria do Cremego concedeu um prazo de 15 aos diretores da Maternidade Nascer Cidadão, Sebastião Pereira e Rogério Cândido, para a assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com a definição de prazos e ações para sanar deficiências que vêm comprometendo o funcionamento da unidade situada na região noroeste de Goiânia. O TAC com o Cremego deve ser assinado pelos diretores e pela secretária Municipal de Saúde de Goiânia, Fátima Mrué.

Caso o compromisso não seja firmado nos próximos 15 dias, a maternidade, que realiza mais de 300 partos por mês, poderá ser interditada pelo Conselho, que significa o veto do trabalho médico no local. Os diretores reconheceram que a unidade enfrenta problemas, como a falta de equipamentos e déficit de pessoal, e se comprometeram a apresentar a minuta do acordo à secretária.

A proposta de convocação dos diretores e da secretária para a assinatura do TAC foi aprovada pelo Cremego após inúmeras vistorias na Maternidade Nascer Cidadão e notificações à diretoria da unidade para a correção de deficiências encontradas e que colocam em risco a segurança da assistência médica às gestantes e aos recém-nascidos e a salubridade do trabalho dos médicos.

Dentre as falhas detectadas pela fiscalização do Cremego – a última delas realizada em outubro – e ainda não sanadas estão a escassez de profissionais, equipamentos e medicamentos, atualmente longe da quantidade mínima necessária para o bom funcionamento da Maternidade Nascer Cidadão.

 

 

(Rosane Rodrigues da Cunha – Assessora de Comunicação/Cremego 20/12/17)

 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.