As más condições de funcionamento do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) levaram o Cremego a aprovar a interdição ética da unidade. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) foi notificada da interdição no dia 22 de junho e tem 30 dias para solucionar as deficiências, como a falta de materiais, medicamentos e equipamentos, déficit de médicos nas escalas de plantão, número insuficiente de leitos na UTI, superlotação da unidade e falta de alvará sanitário. Caso os problemas não sejam sanados neste período, a interdição ética entra em vigor.

Também foram notificados da interdição o governador Marconi Perillo, o Conselho Estadual de Saúde, o Ministério Público Estadual, a Procuradoria Regional do Trabalho, os órgãos de Vigilância Sanitária Estadual e municipal, os diretores e médicos do corpo clínico do Huapa.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.