Boletim Eletrônico Nº 497 03/07/15

Estado deve alugar um novo prédio para abrigar o Wassily Chuc

A proposta foi apresentada e aprovada em reunião realizada na segunda-feira, 29, na Secretaria Estadual de Saúde para discutir o atendimento psiquiátrico de urgência e emergência na capital

O atendimento emergencial psiquiátrico em Goiânia voltou a ser debatido, no dia 29 de junho, pelo presidente do Cremego, Aldair Novato Silva, o conselheiro federal Salomão Rodrigues Filho e representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), Ministério Público Estadual, Associação Goiana de Psiquiatria e Pronto-Socorro Psiquiátrico Wassily Chuc. A reunião, que deu sequência ao debate iniciado no dia 24, na sede do Conselho, aconteceu no gabinete do secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela.

O objetivo do encontro era buscar uma solução para garantir o atendimento de urgência e emergência aos pacientes psiquiátricos. Atualmente, essa assistência é prestada pelo Pronto-Socorro Psiquiátrico Wassily Chuc, cuja estrutura física está extremamente precária, o que levou a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia a anunciar o fechamento da unidade.

O presidente do Cremego e o conselheiro Salomão Rodrigues Filho, que no dia 14 de junho visitaram o Wassily Chuc, foram enfáticos ao ressaltar que Goiânia carece de um pronto-socorro psiquiátrico e que o fechamento desta unidade deixaria pacientes em crise sem assistência e sujeitos ao abandono e à violência nas ruas.

Diante das dificuldades apresentadas pela Secretaria Municipal de Saúde para a locação de um novo espaço e da impossibilidade legal de reforma do prédio atual, que é alugado, a Secretaria Estadual de Saúde comprometeu-se a alugar um imóvel e cedê-lo ao município para a transferência do pronto-socorro. Em 20 dias, o Estado deve apresentar às entidades uma proposta de locação do novo prédio. Leia mais

ÉTICA MÉDICA

Conselho volta a alertar médicos sobre a divulgação de atos médicos em redes sociais

O uso da internet e das redes sociais pela classe médica tem crescido dia a dia e, quando bem utilizadas, esses canais de divulgação podem ser importantes aliados dos médicos na orientação da população sobre a prevenção de doenças e a promoção da saúde.

Mas, antes de postar qualquer informação ou compartilhar fotos tiradas em hospitais ou consultórios, é preciso ter cautela e nunca infringir o que preveem o Código de Ética Médica e a Resolução CFM número 1974/2011. Em matéria publicada na edição 39 de “Cremego em Revista” (clique aqui e confira), o Conselho fez esse alerta, que volta a ser reforçado agora.

Infrações

Além de infringir a resolução, que trata da divulgação de assuntos médicos, publicações equivocadas podem também desrespeitar os artigos do Código de Ética Médica, que vedam ao médico:

“revelar fato de que tenha conhecimento em virtude do exercício de sua profissão, salvo por motivo justo, dever legal ou consentimento, por escrito, do paciente” (artigo 73);

“fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos em anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos médicos, em meios de comunicação em geral, mesmo com autorização do paciente” (artigo 75);

“deixar de orientar seus auxiliares e alunos a respeitar o sigilo profissional e zelar para que seja por eles mantido” (artigo 78), quando a divulgação for feita por terceiros.

DIPLOMAS

Cremego quer o uso do termo médico nos diplomas de medicina

Em ofício enviado aos reitores, diretores e centros acadêmicos das Faculdades de Medicina em funcionamento em Goiás, o Cremego solicitou que seja usado o termo “médico” e não “bacharel em medicina” nos diplomas emitidos. A proposta do uso deste termo já tradicional é defendida também pelo Conselho Federal de Medicina e todos os Conselhos Regionais.

Em resposta ao Cremego, a Universidade Federal de Goiás (UFG) afirmou que mantém a expedição dos diplomas com o termo “médico”, mesmo ciente da posição do Ministério da Educação (MEC) publicada em 2014, que reconhece apenas três graus acadêmicos – bacharel, licenciado e tecnólogo – e afirma que a inscrição adequada aos diplomas de medicina é a de bacharel em medicina.

O reitor da UniEvangélica, Carlos Hassel Mendes da Silva, também informou que já adotou o termo “médico” nos diplomas dos concluintes do curso de graduação em medicina na instituição. A Pontifícia Universidade Católica de Goiás e a Universidade de Rio Verde ainda não responderam o ofício do Cremego.

HOMENAGEM

Ex-conselheiro Georthon Philecreon recebe o título de Cidadão Goianiense

O médico ginecologista e obstetra Georthon Rodrigues Philecreon (CRM/GO 153) recebeu ontem (2) o título de Cidadão Goianiense, entregue pela Câmara Municipal de Goiânia. Natural de Salvador, Georthon formou-se em medicina em 1953 pela Universidade Federal da Bahia e está inscrito no Cremego desde 1958.

Georthon Philecreon tem 87 anos de idade e foi conselheiro do Cremego na gestão 1963/1968. O Conselho foi representado na solenidade de entrega do título pelo conselheiro Waldemar Naves do Amaral.

ZIKA VÍRUS

Ministério da Saúde recomenda que os profissionais fiquem atentos aos casos de contaminação pelo zika vírus

A febre por vírus zika é transmitida principalmente por mosquitos, como o Aedes aegypti, e caracterizada por exantema maculopapular pruriginoso, febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, artralgia, mialgia e dor de cabeça.

Diante da confirmação dos casos de febre por vírus zika, o serviço de saúde deve notificar o Ministério da Saúde, usando a Ficha de Notificação/Conclusão disponível no site www.saude.gov.br/sinanweb. Para registro da nova doença, o código definido é o CID 10.A92.8. Leia mais

OPINIÃO – Dr. Frederico Frota (CRM 18.706)

Ser

Há cerca de 01 ano fazia uma das contagens regressivas mais empolgantes da minha vida: minha formatura…a realização do meu sonho de ser médico.

Dia após dia me apaixono mais pelas pessoas, pelos relacionamentos, pelas diferenças, pelo poder da palavra, do toque, do gesto, da intenção, da vontade, do esforço, do “importar”. Do ser e do estar.  Estar ali ao lado, acalentando, parabenizando e por vezes chorando. Ser mais do que você nunca imaginou conseguir. Errar. Acertar. Entender. Aceitar. Tentar. Tentar novamente. Buscar. Perguntar. Admitir. Se redimir. Não descansar enquanto não conseguir. Por vezes não salvar. Mas sempre se importar. Sempre ser. Ser protagonista, ser coadjuvante, ser o que o paciente precisa. Ser João, Maria, José, Pedro, mas sem deixar de ser você.

E para os próximos anos?  Espero continuar sendo tudo isso. Espero amar cada vez mais essa medicina que hoje sofre. Desejo que as mazelas mudem. Aguardo o dia em que vamos nos preocupar menos com as distorções de valores impostas a classe e mais com o que realmente importa. Até esse dia chegar estarei unido com meus colegas de profissão buscando um amanhã melhor para nós e principalmente, para os nossos pacientes.

E analisando tantos “obrigados” que recebi durante esse ano tenho apenas uma coisa a dizer: “Eu que agradeço”.

AGENDA

Curso sobre riscos dos erros de medicamentos será ministrado neste sábado

O Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP) Brasil realiza amanhã, 4 de julho, no auditório da Faculdade de Enfermagem e Nutrição da Universidade Federal de Goiás, o 2º Ciclo de Cursos sobre a Segurança do Paciente com o tema “Prevenção de Erros de Medicação – gestão e ferramentas para implantação e monitoramento”. O curso é aberto a médicos, farmacêuticos, enfermeiros, odontólogos, gestores e demais profissionais da área de saúde.

O evento faz parte de uma série de cursos ministrados pelo ISMP Brasil com o intuito de prevenir os erros de medicação. Fundado em 2006, a partir de iniciativas voluntárias de profissionais com experiência na promoção da segurança dos pacientes, o instituto está promovendo esse curso em diferentes capitais do País.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que o porcentual de internações hospitalares provocadas por reações adversas é superior a 10% do total. Os registros do Centro de Informações Toxicológicas (CIT) da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás apontam que as intoxicações por medicamentos lideram o ranking das notificações, seguidas pelos agravos causados pelas drogas, entre elas o álcool. Entre os medicamentos, os analgésicos, antitérmicos e antiinflamatórios são os mais usados pela população sem o atendimento às recomendações médicas, por isso, são os que causam mais intoxicação.

O curso terá como palestrantes Mário Borges Rosa, presidente do ISMP, doutor pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências em Saúde, e Mariana Martins Gonzaga do Nascimento, do Conselho Científico do ISMP, doutoranda em Ciências da Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Para mais informações e inscrições, acesse www.ismp-brasil.org.

Congresso Internacional do Grupo CLAHT

Data: 27 a 29 de agosto de 2015

Local: AmCham – Rua da Paz, 1.431 – São Paulo – SP

Programação e mais informações: www.claht2015.com

Congresso Brasileiro Patologia

Data: 29 de outubro a 1º de novembro de 2015

Local: Centro de Convenções Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 569, Consolação. São Paulo/SP

Programação e mais informações: congressodepatologia.org.br

Caso não queira mais receber esse boletim, clique aqui

Boletim Eletrônico  Ano 8 Nº 497 03/07/2015

Edição: Rosane Rodrigues da Cunha – MTb 764 JP
Assessora de Comunicação – Cremego 
www.www.cremego.org.br
imprensa@cremego.org.br
(62) 3250 4900 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.