Ano 6 324 23/05/2012

 

Diretoria do Cremego reúne-se

com o secretário Elias Rassi

 

O secretário Municipal de Saúde de Goiânia, Elias Rassi Neto, participou na tarde desta quarta-feira (23) de uma reunião com a diretoria do Cremego para discutir as condições de funcionamento das unidades de rede pública municipal de saúde na capital. O presidente do Cremego, Salomão Rodrigues Filho, entregou ao secretário um documento com um resumo dos relatórios das vistorias feitas pelo Conselho na rede municipal.

Os relatórios apontam deficiências que têm comprometido o exercício ético da medicina e afetado a qualidade e a eficiência da assistência prestada aos pacientes. Elias Rassi fez um balanço das ações da Secretaria, citou a ampliação do quadro de pessoal com a contratação de novos médicos e afirmou que estão sendo adotadas medidas que permitem ao órgão tomar decisões em tempo mais curto para melhorar o funcionamento das unidades.

Um exemplo, citado pelo secretário, foi a melhoria da segurança no Ciams do Jardim América, que chegou a ser interditado pelo Cremego, no dia 24 de abril. As ações acordadas com o Conselho para sanar a falta de segurança que levou à interdição da unidade foram cumpridas pela Secretaria. Durante a reunião, o presidente do Cremego entregou ao secretário um documento atestando o cumprimento do acordo.

No próximo dia 21 de junho, técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e diretores e médicos fiscais do Cremego voltam a se reunir para debater os problemas detectados nas vistorias e definir um cronograma para a solução das deficiências nas unidades da rede pública municipal de saúde.

Antes dessa data, haverá um outro encontro para analisar a situação do Cais da Chácara do Governador, cuja interdição ética foi aprovada pelo Cremego no dia 3 de maio. Foi dado um prazo de 30 dias à SMS para corrigir as falhas na unidade e evitar a interdição.

Segundo a diretora de Atenção à Saúde do órgão, Patrícia Antunes de Moraes, as deficiências apontadas pelo Cremego já estão sendo corrigidas. Salomão Rodrigues ressaltou que a meta do Conselho não é interditar unidades de saúde, mas contribuir para que os problemas sejam solucionados e que os médicos tenham condições dignas de trabalho e de remuneração.

Também participaram da reunião desta quarta-feira, além do secretário Elias Rassi Neto e do presidente do Cremego, técnicos da SMS e os diretores do Conselho, Adriano Alfredo Brocos Auad, Carlos Alberto Ximenes, Evandélio Alpino Morato, Lueiz Amorim Canêdo, Maria Luiza Barbacena e Rômulo Sales de Andrade.

 

 

Cremego busca solução para

a greve dos anestesiologistas

 

Após 15 dias de paralisação, os médicos anestesiologistas retomaram nesta quarta-feira (23) o atendimento nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). A volta ao trabalho foi aprovada após o pagamento de cerca de R$ 1,1 milhão, valor referente aos serviços prestados em janeiro e fevereiro de 2012.

Já o atendimento nos hospitais conveniados ao SUS continua suspenso até que seja assinado um contrato entre a Secretaria Estadual de Saúde e a Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas de Goiás (Coopanest). O presidente do Cremego, Salomão Rodrigues Filho, e representantes da Coopanest vão se reunir na tarde desta quarta-feira (23) com o governador Marconi Perillo para discutir uma solução para o problema e garantir a retomada do atendimento.

 

Cremego: expediente – Em função do feriado de Nossa Senhora Auxiliadora, Padroeira de Goiânia, que é celebrado em 24 de maio, o Cremego não terá expediente amanhã (quinta-feira). Na sexta-feira, o Conselho funcionará normalmente.

 

Greve: legistas – Os médicos legistas e peritos criminais goianos entraram em greve no dia 22 de maio por tempo indeterminado. Eles reivindicam reajustes salariais e melhores condições de trabalho.

 

 

PALAVRA DE MÉDICO

 

Secretário Estadual de Saúde esclarece dúvidas de médicos sobre o bônus (Boletim Eletrônico 323)

 

Estou me sentindo indignada com esta situação. Estou de licença médica para tratamento de saúde, mas não é isso que me decepciona, até entendo, apesar de não considerar justo. O que me indigna é o fato de na época eu não ter podido escolher se ficaria em uma unidade do “estado”, quando houve a municipalização e ser penalizada agora por isso. Também me indigna o fato de já ter sido excluída da gratificação de “urgência” no contrato do estado, por ter dois vínculos de trabalho (prefeitura/ estado) e a gratificação ser única por CPF. É assim que as coisas funcionam em nosso país.

Após quase trinta anos de trabalho as esperanças minguadas e a saude debilitada dou vivas aos nossos gestores.

 

Maria Ivete de Lima Santos CRM 3717

 

 

Sr. Presidente,
Tenho acompanhado seu empenho em favor da classe médica tanto em questões salariais quanto melhoria das condições do trabalho médico. E o parabenizo por seu trabalho no Estado de Goiás e no CFM. No entanto, acabo de ler o boletim do CRM e confesso que estou indignada com a decisão do Secretario da Saúde quanto a sua decisão de excluir ou discriminar os funcionários que estão a disposição da Secretaria Municipal de Saúde. Não somos responsáveis pela decisão federal da exigência da municipalização dos serviços de saúde. Nos médicos que prestamos serviço nesta secretaria, trabalhamos atendendo aos goianos e não perguntamos de onde eles são. Cumprimos horários e o nosso dever como médicos. No entanto, temos o vinculo através do concurso pela Secretaria Estadual de Saúde. Não temos plano de carreira e um salário muito defasado como o Senhor tem conhecimento. E agora que tivemos um pequeno reajuste seremos punidos por questões políticas? Eu não entendo. Como  entidade representativa e atuante, tenho certeza que esta Instituição não vai concordar com essa decisão. Peço que nos oriente juridicamente quanto ao que podemos fazer para reverter esta decisão.
Sonia Regina de Almeida – CRM 4868

 

 

Sou médico concursado da SES há 15 anos e trabalho no Ciams do Setor Urias. Por que eu não irei receber o bonus da SES? Não era para ser para todos os médicos na ativa? Isso não é desestimulante? O médico da prefeitura que trabalha comigo ganha quase o dobro. O da SES irá dobrar. E nós? Alguma perspectiva?
Augusto Cezar Pereira Rodrigues – CRM 4915

 

 

 

Cremego aprova a interdição ética do HDT e do Cais Chácara do Governador (Boletim Eletrônico 321)


Em relação ao boletim eletrônico 321, venho me posicionar favoravelmente à medida adotada por esta instituição aprovando a interdição ética do HDT e do CAIS Chácara do Governador. Devido as condições insalubres além da falta de equipamentos básicos para a atuação eficiente de nossos colegas de trabalho, eu não poderia deixar de apresentar a minha intensa insatisfação perante as condições de trabalho oferecidas por nossos gestores públicos.
Avenir Xavier de Araujo– Médico CRM 1086

 

 

PUBLICAÇÃO OFICIAL

 

CREMEGO

CENSURA PÚBLICA EM PUBLICAÇÃO OFICIAL

AO DR. ROLDÃO DE OLIVEIRA FILHO – CRM/GO 6966

 

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE GOIÁS (Cremego), no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pela Lei 3.268 de 30 de setembro de 1957, regulamentada pelo Decreto 44.045 de 19 de julho de 1958, considerando a decisão proferida em Sessão de Julgamento no Conselho Federal de Medicina que manteve a decisão deste Regional, torna público que na presente data está sendo aplicada ao médico DR. ROLDÃO DE OLIVEIRA FILHO – CRM/GO 6966, por infração aos artigos 132, 135 e 142 do Código de Ética Médica (Resolução CFM n.º 1.246/88, DOU 26/01/1988), cujos fatos também estão previstos nos artigos 112, 115 e 18 do Código de Ética Médica (Resolução CFM n.º 1.931/09, DOU 13/10/2009), a pena de “Censura Pública em Publicação Oficial”, prevista na alínea “C” do artigo 22, da Lei 3.268/57.

 

Goiânia, 22 de maio de 2012

 

DR. SALOMÃO RODRIGUES FILHO

Presidente do CREMEGO

 

* Edital publicado no dia 22/05/12 no jornal O Popular, página 7, e no Diário Oficial da União, seção 3, página 138/139

 

 

Boletim Eletrônico – Ano 6 Nº 324 23/05/2012
Edição: Rosane Rodrigues da Cunha
MTb 764 JP
Assessora de Comunicação – Cremego
www.www.cremego.org.br
imprensa@cremego.org.br
(62) 3250 4900

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.