Uma reportagem veiculada recentemente pela imprensa relatou o uso de medicamentos para TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) por executivos e estudantes que buscam melhorar seu desempenho no trabalho ou estudo.

Embora não tenham essa indicação por parte do fabricante, segundo a reportagem, esses remédios vêm sendo usados sem orientação médica e para fins sem eficácia comprovada.

Mas, atenção: o que parece gerar um benefício imediato pode esconder um grande risco para a saúde do consumidor.

A automedicação e o uso de produtos off-label (fora da indicação da bula) podem causar sérios danos colaterais.

Os psicoestimulantes, por exemplo, quando usados por pessoas saudáveis podem comprometer o estado mental, agravar quadros de irritação, insônia, gerar crises de psicose e delírio.

Portanto, o Cremego reforça o alerta à população para que nunca faça o uso de medicamentos sem prescrição médica.

(Texto aprovado pela Presidência/Cremego 11/01/23)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.